10 PERFIS DE CARAS QUE NOS RELACIONAMOS ENQUANTO VIAJAMOS

A minha vida e a estrada sempre foram um cruzamento e nesse meio tempo eu tenho que dizer que escutei muitas histórias de amor ou somente pegação, seja das pessoas que conheci ou aquelas mesmas que protagonizei. Então hoje resolvi escrever sobre os tipos mais comuns de caras que nos envolvemos enquanto viajamos porque afinal de contas se envolver é bom demais.

 

10 PERFIS DE CARAS QUE NOS RELACIONAMOS ENQUANTO VIAJAMOS

1# Carinha do mesmo hostel

Caras do mesmo hostel

Aí você é mochileira como eu e hostel, além de ser a opção mais econômica, é o melhor lugar para conhecer pessoas que estão afim de se divertir, abertas para o que o universo apresenta. Quem nunca se pegou interessada naquele carinha que, enquanto tomava o café da manhã, se mostrou super inteligente e viajado?

 

2# Tinder

Carinha do tinder - deu match

Não me venha com esses argumentos que minha avó teria sobre o aplicativo, na Europa a galera usa sem preconceito (porque afinal palavra também é corpo) e é uma boa maneira de se conectar com pessoas tão dispostas quanto você, seja local ou turistas.

 

3# Carinha sabor da terra

Quem melhor para apresentar a cidade do que uma pessoas que nasceu e cresceu nela? A verdade é que quando se está em outro país, nos deparamos com vários perfis distintos, desde aqueles nativos que só pegam turistas até aquele local que não fala outro idioma além do seu mas que isso não o impede de se relacionar. Lembrando que o corpo também fala.

 

4# Traidor

CARINHA, VOLTE AO SEU POSTO DE LENDA

Aí você conhece alguém interessante, dividem alguns passeios e quando resolve enviar uma solicitação no facebook… Negado! Quando você vai buscar o porque com aquela stalkeada básica, o gatinho tem namorada!

 

5# O novinho

Carinha e compartilhar estradaSobre este perfil falo com propriedade, na casa dos 30 enquanto meus amigos estão batalhando em empregos e pagando as prestações da casa e do carro, eu resolvi viajar. Assim a maioria das pessoas que vou encontrando geralmente estão em um time off após terminar a universidade e começar uma carreira. Os critérios para se relacionar na estrada são outro e o que a gente quer mesmo é se divertir.

6# O cara do mesmo país

Chega um momento que a conexão acontece porque, na verdade, em algum momento você já não quer mais pensar muito antes de dizer algo. Dividir o mesmo idioma, entender as piadas e poder usar  referencias da vida em uma ironia, por incrível que pareça, pode ser tão excitante…

 

7# Amigo de viagem

Quem nunca começou uma viagem com um amigo, seja das antigas ou aquele carinha que conheceu na própria estrada e que no primeiro momento não te despertou interesse. Nada como o tempo, não?!

 

8# O fruto proibido

O carinha que é o fruto proibido

Seja do hostel, local ou do tinder, não importa. Um dia você conhece alguém que toca lá no fundinho mas em algum momento, você sabe, que tem que partir. Quem nunca adiou a passagem, deixou de conhecer um país a mais para viver esse sentimento. Mas a estrada pode ser cruel e fazer você entender que o amor não vence tudo, que há questões como visto e trabalho. Como pedir para alguém largar uma vida?

 

9# Os estereótipos latinos e australianos

Carinha latinoPor incrível que pareça os estereótipos de nacionalidade são um peso na hora de decidir com quem se relacionar. Os latinos são os mais calientes amantes, os australianos com um inglês impossível de entender são os gostosos e que garantem uma noitada de muito álcool e diversão.

 

 

10# Os caras: “não to procurando nada sério”

Caras que são sinal vermelho - Don't go!Esse é clássico e está por todo lugar! Você, mesmo sem sair de casa, pode topar com um destes enquanto compra o pão francês de cada dia. Ele é descolado e tem bom papo, galanteador quando vocês engrenam em um sintonia legal… Ele jia não responde mais o whats na mesma velocidade, as respostas são secas e ao final você descobre: não to procurando nada sério! Será que ele jia imaginou que a gente também pode querer só se divertir? Fala sério viu…

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário