Buenos Aires: 4 dias com R$ 400 é possível! Confira o roteiro completo

ba
Avenida 9 de Júlio – Obelisco

Buenos Aires é uma cidade incrível, desde a arquitetura que remete muito a estética francesa, a mobilidade urbana e as facilidade de estar em uma cidade planejada. As ruas e avenidas são muito extensas, algumas cortando toda a cidade. Localizar-se na capital argentina vira uma questão matemática. Ela ainda te oferece um aplicativo, o “como llego”, ele é genial para traçar rotas e combinações bus-bike-metrô-caminhadas.

Lá encontramos uma população que lê, torna sagrado o momento de cada alimentação, gosta de vinho e que entende o percurso histórico que os trouxeram até ali nos fazendo refletir fortemente as nossas escolhas de vida.

Com as promoções das empresas de aviação, visitar os amigos porteños se torna cada vez mais fácil e alguns amigos sempre me pedem alguns roteiros baratinhos para um fim de semana. Acabei montando um roteiro de 4 dias com o valor de R$ 400 reais no total. É apertado, foge de alguns roteiros tradicionais de turismo, mas você vai transitar por lugares que os porteños de fato estão.

Dicas iniciais

SONY DSCOs ônibus são incríveis, não tem roleta e não aceitam dinheiro. Você precisa chegar e comprar o cartão de passe (sube), que custa uns 10 ou 15 pesos e carregar. Ele vale tanto pro metrô, ônibus quanto para o trem. A passagem de trem e bus são gradativas: informa ao motorista onde vai e ele cobra a taxa referente a isso, eu sempre digo que vou para a rota mais próxima e assim pago sempre a menor.

O trem, nos horários de pico nem cobram, isso mesmo! Nas localidades mais interioranas (villas) as entradas são abertas. O metrô é o único que paga mesmo, mas custa 4,5 pesos. Muito barato.

Sugiro uma mochila, compre coisinhas para comer nos percursos e tenha uma garrafa grande de água na bolsa. O bom é que se pode beber a água da torneira, é boa e assim não precisa comprar, basta encher. Tente priorizar as verdurerias dos bolivianos e peruanos, os produtos custam 60% menos que os mercados.

Opte por hostel, além de barato, a galera socializa mais e você sempre encontra alguém disposto a se aventurar pela cidade. Aqui eu calculei os valores baseado no hostel que vivi, o Hostel Fiesta. Fica no microcentro bem ao lado da imagem da Evita Perón, perto dos principais bairros e com todas as opções possíveis de bus, metrô e trem. O cálculo foi feito pensando nas habitações coletivas que custam 100 pesos a diária com café da manhã 24 horas por dia. Isso mesmo, pãozinho, doce de leite, cereais e café, além da cozinha disponível…

O câmbio foi calculado na conversão em R$1 por 4 pesos, assim R$400 viram 1600 pesos. O que teremos 400 pesos diários. Ao final, fui apertando durante dia para ficar mais tranquilo a noite e se você seguir  a risca, até sobra um troquinho. Esse é o meu jeito de mochilar. 

#1º Dia: Aeroporto, Corrientes e Caminito

Boca

Manhã

_Translado: Independente se você chega pelo aeroporto Ezeiza (fora da cidade) ou Aeroparque, ambos possuem ônibus que te deixam até 500 metros do hostel. Sugiro que faça o câmbio mínimo possível no banco do aeroporto, os ônibus só aceitam moedas, mas elas estão desaparecidas do mercado. Faça o câmbio e peça para alguém para passar o sube para você. Daí você deixa uns 5 pesos para a pessoa.

Chegue ao hostel, tome o café da manhã e se organize.

_Câmbio: Saia do hostel sentido contrário a 9 de Julio e entre na terceira esquina e caminhe até encontrar a av. Corrientes, lá tem um monte de gente trocando dinheiro, enquanto caminha pesquise o mais vantajoso. Notas de R$ 100 melhoram o valor da troca.

_Livrarias e sebos: Vá caminhando em direção ao Obelisco, atravesse a 9 de Júlio e disfrute da quantidade incrível de livrarias e sebos.

sube

_Cartão eletrônico de passe: Você vai passar por várias estações de metrô, entre em alguma e compre o sube (passe eletrônico) e carregue. Acho que 45 pesos pode ser legal, diferente do Brasil, lá você carrega em qualquer quiosco (lojinhas de conveniência que são 24 horas, espalhadas por toda a cidade).

_Almoço: Provavelmente quando se deparar com a pizzaria Guerrin, a mais tradicional, já estará na hora do almoço. Com 70 pesos você sai bem satisfeito com 2 fatias de pizza e 1 bebida.

Tarde

_Caminito: localize-se, veja que altura está de Corrientes e consulte no como llego que bus precisará para chegar a Caminito (aquele lugar com casinhas coloridas), que fica no bairro La Boca. Ida e volta custará 7 pesos. Lá é turístico e muito caro, então, veja as apresentações de tango que acontecem na rua, mas nunca como lá. Em uma simples caminhada pelo bairro há panederias muito baratinhas, com 15 pesos você compra 2 facturas e 1 café. Ou mesmo, lugares que vendem empanadas, com 25 pesos você toma uma bebida e come uma empanada.

_Apresentação grátis: Se for sexta-feira, você ainda tem a possibilidade de caminhar pelo calçadão, à beira do rio, e pegar uma apresentação grátis. É uma pracinha bem pequena ao final da rua, ali tem um palco pequeno montado e toda sexta uma apresentação distinta. Volte ao hostel e descanse.

Noite

_Social no Hostel: Faça uma social no hostel para tentar encontrar outros aventureiros, passe no mercado e compre um macarrão, alho e algumas coisinhas, não sai mais que 48 pesos. Cozinhe uma massa, geralmente na cozinha ficam disponíveis temperinhos e óleos. Na entrada tem um balcão vermelho enorme, cerveja e vinho com preços excelentes. Peça um vinho e tente fazer amizade, afinal, são as conexões que a estrada possibilita que a torna tão especial. Com os pesos restantes você pode começar no vinho (60), tomar uma garrafa de cerveja (45) e ir dormir borracho (bêbado). 

#2º Dia: Parque de La Memoria, Palermo e Café Teatro.

Parque de La Memoria
Parque de La Memoria

Manhã

_Desayuno: o café da manhã é essencial que tome no hostel para economizar na rua, desça e compre no mercadinho da esquina meia dúzia de ovos (10 pesos) para reforçar. Eu ainda costumava pegar os pãezinhos do desayuno e fazer uns lanchinhos para comer durante o dia.

_Parque de La Memoria: Localizado na Costanera Norte, é um lugar voltado para a memória dos crimes cometidos pelos militares, tem muitas esculturas legais e a entrada é grátis. O lugar é lindo e fica às margens do Rio Del Plata, sugiro pegar um bus. Fica depois de Palermo, assim dá pra fazer essa combinação e depois passear a tarde pelos parques em Palermo. Até aqui foram $7 pesos de passagem.

Tarde

_Almoço: Há uma rede de restaurantes chamada Bellagamba que há pratos muito bons por 40 pesos. O restaurante é lindo e fica na rua Armênia com Córdoba (isso tudo você acha na internet). Chegue, experimente a famosa Quilmes (60 pesos), peça a roja ou a bock, essas são as que valem a pena. Leia os jornais, aproveite o ambiente enquanto recupera as energias para uma outra caminhada.

_Conhecendo Palermo: Aqui há uma infinidade de coisas para conhecer, muito delas grátis, parques, museus, cafés, outlets. Sugiro que faça uma pesquisa e trace um roteiro que mais te agrada. Comece assim, saia do restaurante e caminhe à esquerda por 6 quadras e logo do seu lado direito experimente os deliciosos sorvetes artesanais. Há uma heladeria que possui o melhor sorvete que experimentei na vida. Meu preferido era de doce de leite, óbvio (25 pesos)

Facturas
Facturas

_Café com Facturas: É muito comum por lá o combo café com facturas, se procurar bem, você encontra um legal por 35 pesos. Ou então, coma duas empanadas e beba algo que fique mais ou menos no orçamento.

Noite

_Café Vinilo: Trace uma rota que te aproxime deste lugar. Ainda pelas bandas de Palermo mesmo, o café teatro que fui e mais gostei. Quando você chega ao lugar e vê somente uma portinha e uma janela, não imagina a estrutura que tem nos fundos. Sempre apresentações muito bacanas e com preço acessível. As apresentações estão em torno de 80 pesos (salvo algumas ocasiões específicas).

_Hostel: Volte para o hostel, se tiver ânimo ainda, com o que sobrou das duas idas ao mercado, cozinhe um pouco. Você ainda tem $87 pesos para gastar no barzinho do Fiesta. Ou então caminhe até San Telmo e tome uma cerveja, a noite começa a partir das 2 da manhã.

#3º dia: Tigre, cinema e bares

tigre

Manhã

_Tigre: Uma cidadezinha a 1 hora de Buenos que as ruas, a maioria, são feitas de rio. Tome um café da manhã reforçado, faça um lanchinho e leve. Caminhe até a estação Constituición e procure a plataforma que o trem sai. Fica tudo junto, estação ferroviária. Do hostel, dá uns 20 minutos de caminhada passando por parques, lojinhas e cafeterias, no centro mesmo. Para ir, você paga o trem que deve sair no máximo por 4 pesos, mas a volta, não há catracas cobrando.

_Passeio: Se você negociar, consegue fazer um passeio bem legal pelas ruas de rio por 100. Prefira fazer lanches e levar, ali é um pouco mais caro e se economiza aqui, pode gastar mais pela noite.

Tarde

_Hostel: Volte ao hostel e cozinhe, faça um almoço bem reforçado. Uma dica legal é levar de casa umas quantidades pequenas de arroz e macarrão, assim economiza. Gaste por volta de 30 pesos para dar uma turbinada no seu almoço. Descanse.

Noite

_Cine Gaumont: Do Fiesta dá pra ir a pé, fica nas salas Incaas, o cinema argentino feito com amparo do governo, custa 8 pesos a sessão e é sempre uma boa opção pra ver o que a galera de lá está produzindo. Na saída do cinema, algumas poucas quadras depois, há várias opções baratas para comer, panchos (cachorro-quente, milanesas, pizza). Com 50 pesos você faz uma refeição legal, dependendo do que está afim de comer.

_Esquina Libertad e Makena Em Palermo, o primeiro tem uma terraza linda e fresquinha. Aproveite que o outro fica pertinho e apareça, todo dia tem uma programação dançante, enche muito e é gente de todo lugar (fica muito perto do Bellagamba).

_Antares: Tanto em Palermo quanto em San Telmo, prove uma das melhores cervejas artesanais de Buenos. Eles possuem uma variedade enorme, vendem canecas de 500 ml não passando de 60 pesos cada. Te garanto que você não conseguirá passar de 2 canecas. Se optar por San Telmo, volte caminhando para o hostel, uns 20 min de caminhada. A arquitetura junto a iluminação, a essa hora é um charme. Se fizer as contas vai ver que sobrou um troquinho.

#4º dia: Costanera Sur, C.C. Kirchner e diversão

cck

Acorde tarde, afinal a noite deve ter se prolongado. Sobrou um troquinho da outra noite? Vá até alguma loja Havana (umas 3 quadras do hostel) e compre um alfajor de chocolate branco com amêndoas, meu preferido. Se você tiver a sorte de seu quarto dia ser domingo, vá à feira livre de artesanato em San Telmo. Caso não, comece pela dica seguinte, que de todo jeito você terá que passar por essa rua.

Tarde

_Costanera Sur: Caminhe até depois de Puerto Madero. Se tiver dúvidas, oriente-se passando pela estátua em homenagem a Anne Frank até chegar no calçadão, ao lado de uma vegetação que me lembrou um alagado, com pássaros cantarolando. Aos domingos tem música grátis ao ar livre (pelas tardes) e com os choris e hamburgesas baratos e deliciosos, cada molho! Eles não custam mais de 50 pesos, mais uma bebida. Acredito que você não gaste mais que 100 pesos.

_Centro Cultural Kirchner: Você pode ir caminhando ou de bus, é o antigo prédio do correio que virou um gigante centro cultural com programações incríveis. Vale a pena conferir os horários da sala Ballena Azul, da última vez fui em uma apresentação de piano de um cubano. O melhor de tudo é que é grátis.

Noite

_El Club de la Milanesa: Esse restaurante tem milanesas que são do tamanho de um prato. Aprendi que o melhor é ir com alguém e dividir uma milanesa e uma porção de mozarela empanada. Separe uns 130 pesos e se prepare para comer muito.

_Milonga: Volte para San Telmo e caia no salão, Bendita Milonga ou Maldita Milonga (dependendo do dia) fica na Rua Perú, nº 571. É uma casa antiga que tem bandas ou DJs de tango e a galera cai no salão. Aqui é pra todo mundo dançar, a entrada geralmente é 50 pesos.

_La Puerta Roja: para fechar o nosso roteiro, esse bar em San Telmo tem uma decoração charmosa e fica aberto pelas madrugas, tome uma cervejinha. Acho que depois de tanta milanesa você não terá tanta disposição para encher a cara.

Para finalizar

Se o seu voo é no dia seguinte pela parte da tarde, faça o check out ao meio dia, peça o gerente para guardar sua bagagem e fique somente com uma mochila com o básico. Vá caminhar até dar o seu horário de sair. Eu gostaria de ter feito um roteiro com muito mais bares, centro culturais e tantas outras coisas. Mas se der pra encaixar, lugares que valem a pena conferir: Tecnopolis.

Assim, Buenos Aires em 4 dias com R$400 se torna possível.

Bon provecho!

Deixe aqui o seu comentário