Não namore uma mulher que viaja: 12 motivos, caso não consiga acompanhá-la

“O chão é cama para o amor urgente,
amor que não espera ir para a cama.
Sobre tapete ou duro piso, a gente
compõe de corpo e corpo a húmida trama.
E para repousar do amor, vamos à cama.”

(Carlos Drummond de Andrade)

nature-person-red-woman-large

Não namore uma mulher viajante se você ainda é o tipo de homem que procura uma mulher para substituir sua mãe, para “dar jeito” em sua vida. Não namore uma mulher viajante se você ainda é o tipo de cara que trata mulher como troféu a exibindo como campeã nas categorias-exemplo moda, beleza, submissão, do lar. Ao final, não namore uma mulher viajante se você ainda acha que mulher é um objeto e que você pode tomar posse e, a partir daí a vida dela é seguir a sua. Namore uma mulher que viaja se você entende que a vida é dela e que ela é livre, que está ao seu lado porque ela quer assim e não por não ter opção.

Desconfio que lá dentrinho toda mulher viajante tenha o ascendente em áries, inquieta por essência, desbravadora por não ter opção de fazer de outro jeito. A urgência é o que rege nossa vida porque a que nos é dada não é suficiente, queremos mais e mais e quando já temos tudo, abrimos mão só para conquistar de novo. Passamos os dias planejando viagens, estamos em viagens arquitetando o próximo lugar. Não temos certeza do que faremos em alguns meses porque estamos sempre abertas aos caminhos que vão surgindo. Amamos a vida e estamos sempre disponíveis para mergulhar nessa paixão.

pexels-photo-large

12 formas de identificar se você está preparado…

Talvez você deva sim namorar uma mulher viajante, mas só se tiver pique suficiente para acompanhá-la e o desprendimento necessário para deixá-la livre. Então, para economizar o nosso tempo e o seu, não namore uma mulher que viaja se você tiver problemas com alguma dessas coisas:

1- Os cremes de beleza são protetor solar e repelente, afinal, chegar em cachoeiras, praias ou conhecer uma nova cidade requer certas “vaidades”.

2- Nos impressionamos mais com histórias de viagens, lugares que queremos ir ou nem sabíamos que existia do que com carro ou roupa de grife.

3- Não gostamos de rotina, precisamos de espontaneidade.

4- Nunca pagamos caro para entrar em balada, melhor economizar para uma nova trip, lugares desconhecidos ou mesmo aquele vilarejo especial.

5- A gente já superou essa ideia de que a profissão define quem você é, diploma até temos mas preferimos trabalhar em qualquer coisa que nos possibilite chegar ao próximo destino. Na estrada a imaginação corre solta.

6- Não temos medo de falar o que pensamos, podemos até ser cabeça-dura, mas também estamos abertas para escutar e mudar de opinião (com jeitinho, claro), afinal, a incerteza da estrada ensina que tudo pode mudar a qualquer momento.

7- Se nos dizem que “não podemos”, acabaram de nos dar um novo objetivo de vida.

8- As malas não são enormes e exageradas,  porque sabemos que somos nós mesmas quem as carregaremos pelo mundo afora.

9- Usamos mochila no dia-a-dia porque o que pode ser uma simples caminhada por museus e parquespexels-photo-large (1)pode emendar noite afora. Assim precisamos na mesma medida de uma garrafinha de água, um bom livro, um lanchinho, um batom e junto de uma amarração na t-shirt compomos o look night.

10- Não nos importamos com calorias,  queremos mais é comer toda a culinária local para ter forças para as intermináveis caminhadas, trilhas e cachoeiras.

11- Não sonhamos com o “príncipe encantado” ou um “happy end“. Intensas, pomos o quanto somos em nossas relações, sabemos que a estrada nos dá data de validade e entendemos que cada um tem seus desejos que nem sempre coincidem com o nosso. Assim aproveitamos enquanto podemos caminhar juntos.

12- Não acumulamos joias, compramos viagens!

Don’t Date a Girl Who Travels – esse vídeo, editado por Jonathan Wallace, é uma mistura de imagens de 32 filmes, comerciais e videoclipes, que inspiram a vontade permanente de viajar. Repleto de imagens inspiradoras e que a mulher que viaja, sozinha ou acompanhada, nunca mais será a mesma depois de trilhar tantos caminhos e se entregar a aventura.

Sendo assim, nunca namore uma garota que viaja a menos que você consiga acompanhá-la em suas aventuras. E se você, acidentalmente, se apaixonar por uma (o que não é difícil), não ouse prendê-la. Deixe-a ir… (Adi Zarsadias)

Deixe aqui o seu comentário