Viajante Aprendiz: Cadu Cassau e seu canal no YouTube, que inspira viajantes a se jogarem no mundo

E aí, já decidiu quando vai se jogar no mundo? Se o que você precisa é de um empurrãozinho, então fique tranquilo e conheça essa história de muita inspiração.

Em 2014, Cadu Cassau, 28 anos, participou de um concurso para ser embaixador estudantil do estado de Queensland, na Austrália. Conquistou o segundo lugar, mas a premiação superou às expectativas até de quem vislumbrava o primeiro.

Além da bolsa de estudos para aprender inglês, Cadu embarcou em uma aventura com novas culturas, vivências, pessoas e aprendizados.

pegando carona numa ilha
Pegando carona em uma ilha

Era a sua oportunidade de viver uma experiência única antes dos 30 anos e abraçou com garra. Antes de embarcar para a Austrália, criou o canal Se joga, cara. Lá, compartilha conteúdos sobre viagens, nomadismo digital, idiomas, emprego e intercâmbio.

Desde o início, uma fonte de aprendizado em conjunto, para ele, que estava iniciando a jornada, e para seus quase 8 mil seguidores, que sonham em viver algo parecido.

O primeiro passo

Na Austrália, teve a primeira experiência profissional em um bar. A oportunidade inicial rendeu “a baita oportunidade”. Ofereceu um vídeo comercial ao dono do bar.

“Eu disse a ele: vou fazer um vídeo para divulgar o seu estabelecimento. Como não tenho portfólio, se você gostar, me paga. Se não, o material fica como portfólio para eu mostrar a outros clientes”, conta.

O cliente aprovou e foi assim que passou a desenvolver suas novas habilidades. Decidiu então atuar como produtor de vídeos.

“2015 foi um ano de transição de carreira. Eu sou biólogo, com mestrado em engenharia ambiental. Sempre trabalhei em grandes empresas. Mesmo fora da minha área, estudei, aprimorei as técnicas, investi e comprei equipamentos.”

Road trip na Austrália
Road trip na Austrália

Sim, ele se jogou. Trabalhou como freelancer o ano inteiro. Viu oportunidade de vender seu trabalho em qualquer lugar, para qualquer pessoa que conversasse. Conciliou essa rotina com o serviço fixo de cinegrafista que prestava a uma empresa.

Fluência em inglês

“A fluência em inglês me ajudou muito. Essa é principal dica que dou: focar em aprender o idioma do país que pretender morar. A Austrália tem muitas oportunidades para quem quer trabalhar no mercado de comunicação, marketing, design, social media. Mas, é preciso se comunicar na língua nativa.”

Atualmente morando em Chiang Mai, na Tailândia, Cassau está em seu momento empreendedor. Considerada o berço dos empreendedores online, a cidade oferece estrutura de coffee shops, coworkings, convivênvia com profissionais que também estão estruturando seus modelos de negócios e um custo de vida baixo. Cenário ideal para Cassau planejar os próximos passos do seu caminho.

Templos da Tailândia
Templos da Tailândia

“O canal foi a maior motivação para eu entender o valor da experiência que estou passando. Recebo mensagens incríveis de pessoas, de 15 ou 40 anos, que decidiram mudar de vida e isso me dá a sensação de que estou contribuindo. Aprendi coisas que não imaginava e agora, além das minhas habilidades, estou em um momento de mudança de mentalidade, de amadurecimento profissional e espiritual.”

Nova fase

Os planos para 2016 são de reforçar seu trabalho junto ao público brasileiro, inspirando-os através de um curso que está estruturando e irá lançar em breve.

“Estou com uma pegada mais aberta, serena… Tenho mais segurança para falar sobre meus projetos e acredito piamente que somos os capitães de nossas almas, do nosso universo. Essa é a nossa essência.”

Com previsão de voltar ao Brasil apenas no fim de 2017, conta que hoje carrega apenas o que cabe na mochila de 40 litros. Não sente falta de nada. No período em que foi intercambista, aprendeu a viver com pouco e ter um estilo de vida mais minimalista.

Apesar da vida sem grandes apegos, Cassau conta que nunca conheceu tantas pessoas incríveis em tão pouco tempo.

povos das montanhas da tailandia
Povos das montanhas da Tailândia

Se ele tem um conselho para quem planeja viver em outro país? Se doar de verdade, deixar de lado todas as inseguranças, pesquisar e perguntar muito. A convivência com outras pessoas, ter que procurar trabalho em um país diferente, administrar as próprias contas… são experiências enriquecedoras. Viver isso é ter uma chance de se tornar um ser humano melhor e mais maduro.

Gostou da dica? Você também pode conferir a entrevista que o Rafael Incao fez com o Cadu sobre como ter um canal de sucesso no YouTube.

Quer conhecer outras iniciativas interessantes de quem está viajando o mundo? Clica aqui.

Deixe aqui o seu comentário